Dicas&Toques 113 – “Causus” de Consultor IX – O Escolhido das Arábias.

D&T70

Este “causu” também tem relação com nossa série anterior, sobre Ética Empresarial. Quem a acompanhou lembra que num dos números abordamos relações com estrangeiros. Pois bem. O colega Marco Botelho, consultor de grandes montadoras, nos conta que um profissional de sua equipe, nos anos 70 foi alto executivo de uma grande montadora de veículos e a representou em uma concorrência num país do Oriente Médio, para venda de uma razoável quantidade de unidades.

Povos árabes, costumes muito diferentes dos nossos, lá foi executivo torcendo para fechar o negócio que representaria um dinheirão em comissões, fechamento de sua meta de um ano inteiro e boas férias nas Bahamas.

Nessa época não havia internet e muito menos Google. Não era fácil saber quais os costumes e detalhes cerimoniais daquela cultura. Soube apenas que no dia da decisão, o Ministro responsável pela compra, entraria ao salão onde já deveriam estar perfilados todos os representantes das montadoras participantes. Ele cumprimentaria um por um, mas a um deles, além do aperto de mão, daria um beijo no rosto, sinal da escolha. Claro que naquela noite o executivo mal dormiu, pois o negócio era mesmo muito grande. E nunca tinha imaginado que ficaria torcendo pra receber um beijo de um “barbado”.

No dia seguinte, todos perfilados, entra o Ministro, todo paramentado e enfeitado e atrás, um monte de seguidores. Começa a sessão de cumprimentos. O homem vai chegando cada vez mais perto. Nosso executivo suando frio e sentindo o coração bater na garganta.
O Ministro para diante dele, um de seus auxiliares cochicha-lhe alguma coisa ao ouvido e, ato seguinte, o Ministro lhe beija a face.
Ele foi o escolhido! Podia começar a sonhar com as férias, os elogios dos colegas, etc.

Mas aí veio um gesto inesperado e surpreendente para ele. Após o beijo, o Ministro o toma pela mão e assim, de mãos dadas, foram à frente de todos em direção ao salão onde ocorreria o almoço. Ele enrubescido e sem jeito com a situação constrangedora, sob o olhar de dezenas de outras pessoas, entre representantes de montadoras concorrentes, auxiliares, assistentes, e tantos outros. Constrangedora para ele, claro. Para o Ministro e todos os funcionários locais, um gesto absolutamente comum e esperado após a escolha.

Teve seu lugar à mesa designado pelo cerimonial, ao lado do Ministro e após o almoço e durante boa parte daquela tarde, as conversas sobre amenidades prosseguiram, mas sempre com o Ministro pegando-o pela mão e ficando assim, de mãos dadas durante a maior parte do tempo.

O episódio ilustra o quanto podemos estar despreparados para lidar com hábitos e culturas diferentes da nossa. Portanto, se um árabe lhe beijar a face e pegar na sua mão, atenção! Pode ser que você tenha fechado um bom negócio.

Com este D&T de hoje encerramos as publicações de 2014. Durante o mês de Dezembro compilaremos vários outros temas que já estão em análise e no dia 14 de Janeiro, retomamos a publicação normal.

Tenha um excelente 2015 e Boas Festas!!!
Até breve.

Posted in:
Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *