Dicas&Toques 149 – Acolher sim. Invadir o Cliente, não.

D&T70

Você já foi a algum bar ou restaurante onde o dono acha que ele é o principal centro de atenção e resolve ficar batendo papo com você, impedindo que você possa estar com a(s) pessoa(s) que o acompanha(m)?

Alguns empresários do setor de serviços acham que ser simpático e acolhedor é encostar-se à mesa do cliente e ficar puxando conversa.

Aí, você que saiu do trabalho é quer um momento de relaxamento e papo informal com algum colega, descobre que um chato, que se acha o mais importante do estabelecimento, invade a sua privacidade e lhe rouba o tempo para falar do que ele acha que você gostará de falar.

Ou num final de semana, em que você pretende curtir algumas horas com a família e o proprietário, gerente ou às vezes até um garçom, que não sabe a diferença entre atender e invadir, fica achando assunto e não o deixa à vontade com os seus.

Isso é muito mais frequente do que seria desejável. Nossa cultura latina, somada aos hábitos amigáveis do brasileiro pode resultar num atendimento simpático e agradável, mas às vezes são estragados por um terceiro ingrediente: a crença de alguns de que a forma certa de tratar o cliente é como se ele fosse amigo. Amigo íntimo, inclusive.

Claro que muitos clientes se sentem envaidecidos quando são reconhecidos num estabelecimento, chamados pelo nome, tratados com deferência.

O problema está na “dose” desse tratamento. E aí muitos empresários exageram na duração e forma das conversas e acabam tomando mais tempo do que seria desejável do momento de lazer do cliente.

Nesses casos só há uma saída. Com a mesma descontração e simpatia diga ao seu anfitrião que você tem assuntos importantes a tratar com seus acompanhantes e que “se precisar” você o chama. Isso recolocará as coisas nos lugares certos e você poderá virar a cabeça pra frente e encerrar o risco de torcicolo que corria, olhando para sujeito em pé ao seu lado, falando, falando, falando. É isso.

 
Prepare seu final de semana.

 

Posted in:
Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *