Dicas&Toques 175 – Política Partidária na Empresa: Fonte Potencial de Conflitos.

  1. DT175

D&T70

Simpatizantes de partidos rivais, porém integrantes do mesmo departamento na empresa, tendo que trabalhar juntos 8 horas por dia. E aí como faz? 

É claro que não se pode proibir as pessoas de, em algumas ocasiões durante o expediente, comentarem temas do cotidiano. Futebol, política e religião estão entre os temas mais comuns, mas com diferentes potenciais críticos.Futebol é por si só, um tema sobre o qual todo torcedor já está acostumado a gozações e piadas. Rivalidades esportivas, no ambiente empresarial, geralmente são levadas de forma divertida e reciprocamente tolerante.Religião é um tema um pouco mais delicado e menos frequente. As pessoas tendem a levar mais a sério suas crenças e, portanto, costumam ser menos complacentes com qualquer tipo de brincadeira nesse assunto.

Já na política, embora as brincadeiras sejam quase tão frequentes como no futebol, pois os próprios políticos nos fornecem diariamente motivos para piada, em épocas de maior ebulição, o clima tenso dos confrontos partidários costuma contagiar também o ambiente interno.

Nesses momentos, um simples comentário pode azedar a relação de pessoas que trabalham juntas e têm que atuar de modo integrado para o bom desempenho de suas tarefas. Sentimentos de raiva, rancor e desejos de revide podem aflorar facilmente e contaminar relacionamentos, às vezes de modo irreversível.

O papel das chefias e lideranças nesses casos é fundamental. Tanto para sanar como, principalmente, para prevenir altercações e bate-bocas dentro das equipes. A postura de neutralidade em temas alheios à empresa é a mais acertada.

Um gerente ou diretor que aja de modo ostensivamente favorável a uma sigla, fazendo constantes comentários político-partidários, certamente corre mais risco de ter problemas com sua equipe. Todos tem o direito de ter suas posições políticas, porém a empresa não é o espaço adequado para exercê-las.

Mas e quando o clima interno já está comprometido? O que fazer?

Aí entram as ações de integração e os eventos de estímulo ao espírito de equipe. Sejam realizados pelo próprio pessoal da empresa ou com ajuda de consultores externos, tais acontecimentos podem amenizar bastante os conflitos e ajudar a demonstrar que é possível, sim, ter opiniões divergentes e, mesmo assim, trabalhar em harmonia.

Até porque no trabalho, todos são de um só partido: A EMPRESA.

 

Prepare seu Final de Semana.

 

Posted in:
Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *