Dicas&Toques 194 – O lado Terapeuta do Consultor – Promovida odiou a Promoção.

D&T70

Excelente professora numa escola de línguas. Tão boa que foi promovida a coordenadora pedagógica. E aí quase se demitiu da empresa.

Quem disse que promoção é sempre bem-vinda? Tornar-se responsável pelo trabalho de outras pessoas é totalmente diferente de ser responsável pelo próprio trabalho.

Um executor, responde pelos seus resultados, por suas habilidades específicas no cargo que exerce e, quando muito, por sua competência no relacionamento interpessoal que, claro, é desejável que seja excelente.

Mas ao ser promovido e tornar-se responsável pelo trabalho de outros, não só deixa de lado suas habilidades técnicas, que pouco exercerá, como precisa por em prática outras que pode simplesmente não possuir, tais como didática, liderança, gestão de pessoas, capacidade de mediar problemas da equipe e muitas outras.

Era o caso de nossa infeliz e frustrada professora que mal completava 3 meses como coordenadora pedagógica e se arrependia amargamente de ter aceito a promoção.

Tínhamos voltado a fazer consultoria a este grupo de escolas e fechado um pacote de coaching para todos os integrantes do nível de gestão.

Logo nas duas primeiras sessões ficou claro que o que ela gostava mesmo era de estar em sala de aula com seus alunos. Nisso ela era absoluta. Aceitara a promoção por dois motivos fáceis de entender:

  1. O salário era mais atrativo, claro.
  2. Não tinha ideia do nível de complexidade do novo cargo, já que nunca o tinha ocupado.

Quando se viu envolvida com formulários de avaliação, planilhas de controle de frequência, gráficos de desempenho e, principalmente, longe do que mais amava – a sala de aula – foi sendo invadida por um sentimento aversivo a tudo aquilo. Ir para o trabalho passou a ser um castigo.

Após algumas reuniões com a profissional e com a diretora titular conseguimos reverter a infeliz promoção. A professora voltou feliz da vida para seus alunos e a diretora buscou outra pessoa para o cargo de coordenadora pedagógica.

Terminou muito bem esta história. Poderia ter tido outro final. Uma promoção pode ser o primeiro passo para uma demissão futura. Culpa do promovido? Culpa do autor da promoção?

O fato é que as pessoas precisam ser preparadas para assumir novos cargos. E mesmo essa preparação pode até revelar, ao final, que a promoção não é adequada.

Você está pensando em promover alguém? Ótimo. E como a pessoa será preparada para o novo cargo?

Prepare seu Final de Semana.

Posted in:
Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *