Dicas&Toques 38 – Conhece a história de “afiar o machado”?

Antiga história contada com frequência em cursos de vendas, mas vale a pena trazer de volta. Dizem que numa cidade do interior, em região cercada de densas florestas, lá pelo fim do Século XIX, anualmente no final do inverno, promoviam um campeonato entre lenhadores para eleger aquele que fosse capaz de, numa manhã de domingo, derrubar o maior número de troncos.

A população da cidade concentrava-se logo cedo no ponto de partida numa grande algazarra festiva.

Vários competidores tinham suas próprias torcidas que vinham ostentando alguma peça de roupa da cor que identificava o lenhador. O cheiro de café quente e pão assado à lenha em forno de barro ao ar livre inundava a grande clareira e espalhava-se pela floresta.

Ao disparo do juiz, doze homens fortes e bem dispostos empunharam seus machados e entraram floresta adentro. À medida que se distanciavam, cada um em sua trilha, ouvia-se as batidas secas dos machados, cada vez mais distantes. Aos poucos um ou outro ia desistindo, exausto. Alguns continuavam mais uma, duas, três horas para depois desistir.

Por fim, restaram apenas dois. Um grandalhão de vinte e poucos anos e o mais velho lenhador da região, magro, baixo, por volta dos setenta anos e dono de um vigor invejável.

Em vários momentos o jovem olhava para trás e via o velho sentado.

Pensava “ele não vai aguentar, toda hora senta pra descansar, esta prova já é minha”.

Ao final do tempo fixado, soou novo disparo do juiz anunciando o término da prova.

Todos voltavam para a grande clareira e a população corria para as trilhas a fim de recolher os troncos derrubados por cada lenhador. As torcidas empilhavam a produção de cada um para que o juiz as medisse e declarasse o vencedor.

Após ansiosa espera, o juiz informou em voz alta que o vencedor era, mais uma vez, o mais velho lenhador da região. Todos gritaram de alegria. Até as torcidas dos demais, já que o homem era quase um ídolo local.

O jovem, que ficou em segundo lugar, irritado, procurou o velho e questionou:

– Como pode você ter ganhado a prova se eu te vi várias vezes sentado, descansando?

E o velho, com a calma e sabedoria que a idade traz, respondeu:

– De fato, você deve ter-me visto sentado ao menos umas 4 vezes, mas eu não estava descansando. Estava afiando o machado.

Treinamento e capacitação servem prá isso. Afiar o machado. Se você diz que não tem tempo, pode ser passado prá trás por quem para de vez em quanto para se aprimorar.

Afie-se!!

 

 

Posted in:
Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *