Dicas&Toques 95 – Etiqueta Empresarial – V / Almoço de Negócios sem Indigestão.

  1. dt95

D&T70

Esta aconteceu comigo.
Há muitos anos levei um cliente a uma deliciosa churrascaria. Mas durante o almoço descobri que ele era vegetariano.
Minha sorte foi que ele levou esportivamente a situação e até elogiou o buffet de saladas e outros pratos que, de fato, eram variados. Erros constrangedores nos fazem procurar aprimorar comportamentos. Foi o que tentei fazer.

Compartilho aqui algumas coisas que meus próprios erros me ensinaram:

1. Antes de sugerir o local, pergunte ao seu cliente se ele tem alguma preferência. Se deixar a escolha para você, pergunte sobre possível restrição alimentar: Ele pode estar em dieta, ser vegetariano, não gostar peixes, ser alérgico, etc. Então selecione duas ou três opções e deixe-o escolher. Isso implica algum conhecimento sobre restaurantes da região. Informe-se.
2. Novamente, pontualidade. O ideal é você chegar 15 minutos antes do cliente, especialmente se é um local que você não conhece. Caso ocorra um atraso, o máximo protocolar é de 15 minutos, sempre avisando o cliente. De preferência ligando para o restaurante e pedindo ao gerente que transmita o recado. Se não for possível, ligando direto para o celular do cliente.

3. A velha regra para o cotovelo “nunca, às vezes, sempre” ainda está valendo! Não apoie os cotovelos na mesa, no máximo apoie os pulsos na borda da mesa.

4. Evite bebidas alcoólicas em reuniões de negócios, a menos que seu cliente solicite. Neste caso, prove um pouco, para não ser deselegante, mas peça algo sem álcool para você. Lembre-se, ele pode até ficar meio “alto”, mas você não.

5. Quando nosso interlocutor fala conosco à mesa, a regra é pousarmos os talheres e pararmos de comer. No entanto, na correria dos tempos de hoje isto é praticamente impossível, pois demandaria muito tempo. Mas, tente ao menos parar de mastigar e olhar para ele, enquanto ele fala.

6. Tente perceber o “timing” do seu cliente. Veja se ele está com pressa ou pode se estender mais na conversa. Nada mais desagradável do que ter pressa, tarefas esperando, e um vendedor nos prender em um almoço. Procure comer no ritmo do cliente. Terminar antes dele pode constrangê- lo. Terminar muito depois pode irritá-lo. Chato, né? Pode ser. Mas almoço de negócios tem seu ritual.

7. JAMAIS use palito de dentes. Se alguma coisa estiver incomodando, peça licença e vá ao toalete para fazer isso.

8. Ao chegar, antes de encontrar seu cliente, procure o gerente e explique que a conta será paga por você. Se for possível, peça a ele para pagar na saída, depois que vocês já tiverem levantado da mesa, é bem mais elegante.
Caso o restaurante não adote esta prática, peça ao gerente para informar ao garçom que é por sua conta, Assim, evitará o constrangimento de que ele, por engano, entregue a fatura a seu cliente.

9. Evite parar na porta do restaurante ou na calçada para conversar. Além de deselegante, é arriscado e atrapalha os outros. Se houver assuntos pendentes, agende uma nova reunião.

Por último, aqui vai um conselho adicional, não de consultor, mas de “macaco-velho” do mundo empresarial. Procure restringir os almoços de negócios ao mínimo indispensável. O momento da alimentação deve, preferencialmente, ser um momento pessoal de relaxamento e prazer, geralmente incompatível com negócios.
Se sua empresa tem prática frequente de almoços com clientes, conheça nosso workshop sobre o tema e treine sua equipe.

Posted in:
Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *