Plano de carreira na pequena empresa

Plano de carreira é coisa só prá empresa grande? Claro que não. As empresas pequenas precisam muito mais dele, embora pensem que não é o caso.

Quando o empresário nos diz que não tem como implantar, porque não há cargos suficientes para serem preenchidos numa estrutura pequena, nosso papel é ajuda-lo a ver sua empresa em termos evolutivos.

Quem entra hoje na empresa tem o mesmo nível de conhecimento dela e do mercado do que alguém que já está há vários anos nela? Se não, temos aí os dois primeiros critérios para nosso Plano de Carreira:

  1. Conhecimento
  2. Tempo de empresa

Se associarmos a isso o número de cursos específicos na área do colaborador, sua assiduidade no trabalho, comprometimento com a empresa e outros critérios relativamente simples e óbvios, temo um Plano de Carreira praticamente pronto, mas nunca demos a ele esse nome. Só isso.

O Plano de Carreira nada mais é do que dizer aos nossos colaboradores, através de ações concretas, o seguinte:

“Olha aqui, meu caro, se você comprovar conhecimento dentro de 12 ou 18 meses, tiver tido um desempenho dentro dos critérios que vou te passar e estiver de fato com gana de crescer, vou te promover do cargo Y para o cargo X”.

Em nosso trabalho de consultoria testemunhamos dezenas de casos de profissionais que de demitem de empresas pequenas para trabalhar em empresas maiores, ganhando a mesma coisa ou, às vezes, até um pouco menos. Por quê? Pela perspectiva de crescimento que a empresa pequena não oferece.

Por outro lado, nas empresas pequenas vemos pessoas que viraram chefes, supervisores, gerentes após alguns anos. Isso não é crescimento? Sim, mas como foi circunstancial, nem o colaborador nem o empresário o enxergam como tal. Assim, as coisas acontecem ao acaso, sem que ninguém se de conta de que a empresa vai mudando. Trata-se portanto de PREPARAR as mudanças. Antecipar-se a elas. E dizer com todas as letras aos colaboradores:

“Esta empresa só vai crescer se os profissionais que a compõe crescerem. Então vamos preparar esse crescimento, definir o que precisamos fazer, buscar e desenvolver para que todos possamos crescer juntos.”

Não é idealismo piegas. É realismo pragmático. Crescer é, antes de mais nada, uma decisão lúcida e seriamente embasada em um plano. O de carreira é uma parte importante disso.

Experimente na sua empresa.

Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

3 Comentários

  1. BOA TARDE, ADOREI O ARTIGO SOBRE PLANO DE CARREIRA NAS PEQUENAS EMPRESAS. ESTOU PREPARANDO MEU TCC E GOSTARIA DE SABER SE VOCÊS TEM MATÉRIA SOBRE, IMPLANTAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA EM EMPRESAS FAMILIARES. OBRIGADA

    • Prezada Ana Lacerda,
      Na verdade, o Plano de Carreira não teria diferenças substâncias de conteúdo ao ser implantado numa empresa familiar.
      O que sim deverá ser alvo de atenção é a FORMA de implantação que, sem dúvida, é mais delicada e exige cuidados especiais de quem tiver essa missão.
      Numa empresa familiar, independente do cargo de cada integrante, todos se julgam um pouco “donos” da empresa e isso costuma ser um complicador do processo.
      No mais, se o plano for bem elaborado e explicado antes de sua implantação, ficará um pouco mais fácil.
      Desejo-lhe sucesso no seu TCC
      André Ganzelevitch

    • Olá Ana, também estou fazendo meu TCC sobre implantação do plano de carreira, você conseguiu informações baseadas em custo? Poderia me dar uma luz? rsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *