Pequenos Pecados em Treinamentos 01

  1. Tédio Reunião chata

Todos nós, consultores, profissionais de treinamento – ou treineiros, como alguns nos chamam – cometemos pequenos pecados em nosso trabalho. Em todas as profissões isso acontece e consultores não são imunes a erros.
A intenção desta e das próximas publicações desta série é contribuir com os colegas que visitam nossa página ou nosso perfil nas mídias, para aprimorarmos nosso trabalho.  E também, por que não, divertir-nos um pouco com nossos tropeços.

Claro que aqui emito minha visão profissional, mas é o meu ponto de vista. Outros consultores, com todo direito, discordarão em alguns momentos. E também é bom dizer que vários dos ‘pecados’ que relatarei, eu mesmo já fiz a bobagem de cometer. Por sorte, sempre tenho um generoso colega por perto pra me dar um puxão de orelha.
Vamos ao de hoje:
Aula expositiva longa demais. Este é um dos mais comuns, mesmo quando se trata de profissional experiente. Às vezes nos entusiasmamos um pouco a mais com um tema e alongamos nossa oratória, porém sem perceber que talvez os participantes não estejam no mesmo estado que empolgação. Pior ainda quando, por descuido, usamos exemplos ou casos que nos tiram do assunto e acabamos falando de outra coisa sem relação com o que está sendo trabalhado no treinamento.
Claro que em alguns momentos é preciso descontrair, dar uma parada, especialmente se a carga horária do evento for grande.
Mas tergiversar (adoro essa palavra), alongar discursos, é um dos pecados mais aborrecidos de um profissional de treinamento.

Sobre o autor

André Ganzelevitch

avatar

André Ganzelevitch é consultor Empresarial e Profissional de Treinamento desde 1981.É autor de mais de 60 títulos de Programas de Treinamento, Workshops e Palestras para diversas entidades de apoio empresarial, para aplicação presencial e à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *